quinta-feira, 6 de setembro de 2012

CINEMA E PENSAMENTO AFRICANO

CINEMA E PENSAMENTO AFRICANO (COORDENAÇÃO E APRESENTAÇÃO: JOSÉ RIVAIR MACEDO) PROGRAMAÇÃO Dia 22/8 Filme: Pièces d’identités (Documentos de identidade). Direção de Mweze Ngangura, 1998 (República Democrática do Congo), 97 min. Sinopse: Manicongo, o rei dos Bakongo, decide ir à Bélgica para reencontrar Mwana, a filha que partira aos oito anos para estudar, e com quem perdeu contato. As lembranças de sua primeira viagem, nos tempos da colonização, são ofuscadas por um profundo choque cultural. Em meio ao ao preconceito da sociedade europeia e a indiferença dos seus compatriotas, ele acaba por vivenciar o melhor e o pior da diáspora africana - Apresentação do texto de Gerson Geraldo Machevo: A reconstrução do discurso identitário africano em Valentin Yves Mudimbe (2007) (http://pt.scribd.com/doc/62888485/G-Machevo-A-reconstrucao-identitaria-africana) Dia 29/8 Filme: Tsotsi. Direção de Gavin Hood, 2005 (África do Sul), 90 min. Sinopse: O impiedoso líder de uma gangue de jovens delinquentes dos arredores de Johanesburgo, órfão desde a infância, sem memória do seu passado, dispara sobre uma mulher para roubar-lhe o carro, e sem saber leva consigo um bebê recém-nascido que estava no banco traseiro. A situação que se instaura força-o a reavaliar sua trajetória pessoal e seu modo de vida. - Apresentação do texto de Achille Mbembe: As formas africanas de auto-inscrição (2001) Dia 26/9 Filme: Moolade. Direção de Ousmane Sembene, 2004 (Senegal/Burkina Fasso), 120min. Sinopse: Numa comunidade rural, um acontecimento inesperado altera as relações sociais quando Collé, na ausência do marido, dá refúgio a quatro meninas que deviam ser preparadas para o ritual de excisão clitoriana. Para protegê-las ela invoca os ancestrais através da moolade, simbolizada por uma corda estendida na entrada de sua casa. Diante da pressão exercida pelos chefes para a suspensão da moolade e a entrega das crianças, a comunidade se divide entre o costume, o bom senso e a justiça. - Apresentação do texto de António Carreira: Contribuição para o estudo das mutilações genitais na Guiné portuguesa (1963). Dia 17/10 Batuque: l’ame d’un peuple (Batuque: a alma de um povo). Direção de Júlio Silvão Tavares, 2005 (Cabo Verde), 52 min. Sinopse: Documentário sobre o batuque, música e dança desenvolvidas entre os escravos da ilha de Santiago desde o século XV. Proibido e perseguido, considerado ofensivo à boa moral durante o período da colonização portuguesa, sua prática sobreviveu graças à tradição oral alimentada pelas dançarinas e cantadoras, e hoje é uma das mais características manifestações populares de Cabo-Verde. - Apresentação do livro de Carlos Lopes: Kaabunké: espaço, território e poder na Guiné-Bissau, Gâmbia e Casamance pré-coloniais (1999). Dia 31/10 Filme: Bab’Aziz: le prince qui contemplait son ame (Baba Aziz: o príncipe que contemplava sua alma). Direção de Nacer Khemir, 2005 (Tunísia), 96 min. Sinopse: O velho Baba Aziz e sua neta, a menina Ishtar, vagam pelo deserto em busca do local em que ocorrerá uma grande reunião de sábios e dervixes. Para traçar o caminho, são guiados pela fé e inspirados na estória de um antigo príncipe que abandonou tudo para contemplar sua própria alma que estava refletida na pequena piscina de um oásis. Apresentação do livro de Abdallah Laroui: Historia del Magreb – desde los origines hasta el despertar magrebi Dia 28/11 Filme: Keita! L’heritage du griot (Keita! O legado do griot). Direção de Dani Kouyaté, 1997 (Burkina Fasso), 96 min. Sinopse: O velho griot Djeliba deixa sua aldeia do interior e se instala na residência da família Keita para realizar uma missão: a iniciação do menino Mabô nas tradições familiares, cuja origem remonta a Sundjata Keita - o fundador do Império do Mali. Mas as diferenças entre a memória preservada pela oralidade e a história ensinada a Mabô na escola geram um clima de tensão entre a tradição e a modernidade. - Apresentação do livro de Djibril Tamsir Niani. Sundjata ou a epopeia mandinga (1960) Dia 19/12 Filme: Yeelen (A luz). Direção de Souleymane Cissé, 1987 (Mali/Burkina Fasso), 105 min. Sinopse: Num tempo imemorial, mítico, o jovem Nianankoro, dotado de poderes que pouco compreende, prepara-se para enfrentar o pai, um poderoso feiticeiro que é membro da sociedade Komo e deseja matá-lo. Antes do confronto, ele realiza uma jornada iniciática em busca de experiência, conhecimento, e dos segredos de sua linhagem. - Apresentação do texto de Blandine Stefanson: O périplo panafricano de Souleymane Cissé: contornar a violência para melhor combatê-la (2005).

Seguidores

Pensamento

POIS NUNCA PERDE A LIBERDADE
QUEM LUTA E FAZ DO SONHO SUA VERDADE

1) Filhos da Candinha, ano.1993

Um Anjo Negro de Asas Brancas Chamado Liberdade