quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Diário de campo I

Meus primeiros contatos com o "mundo carnavalaesco" neste momento de pesquisa decorreu das leituras sobre o meu objeto de estudo: Os sambas de enredo.Ao lidar com esse tipo de composição épica e poética produzida para o desfile carnavalesco, busquei nos títulos das composições as que remetem-se as linhas de análise, ou seja, aos temas de enredo que versassem sobre africanidades. As narrativas que deram origem aos sambas de enredo e seus possíveis compositores de sambas e temas. A dificuldade de obter materiais ou fontes documentais destes sambas de enredo, fez com que buscasse interagir através das redes sociais, sites especializados em busca dos autores, compositores e pessoas ligadas ao universo carnavalesco.A escolha desta temática decorre da experiência passada, ou seja, os sambas de enredo aprendidos por meio da audição, da vivência televisiva e de alguns passos de samba vivenciado nos anos 90 nas escolas de samba de Porto Alegre. Fazendo um recorte no pensamento e nas vivências desse jogar-se em campo, estar em campo da relação que fui tecendo entre o artefato cultural samba de enredo e a interação propiciada na busca de informantes para a pesquisa decorre que passei a assumir em mim mesma a importância que essa pesquisa ganhou ao iterar-me dos dilemas, das buscas dos sujeitos concretos que convivem atualmente com a crise do mundo carnavalesco.

Seguidores

Pensamento

POIS NUNCA PERDE A LIBERDADE
QUEM LUTA E FAZ DO SONHO SUA VERDADE

1) Filhos da Candinha, ano.1993

Um Anjo Negro de Asas Brancas Chamado Liberdade